A Antiga Estação Ferroviária

A estação de Conchal foi inaugurada em 1912 pela Funilense, para atender o núcleo colonial Visconde de Parnaíba, estabelecido pelo Governo do Estado dois anos antes, em terras da fazenda Conchal, então pertencente ao município de Mogi-Mirim. Relatórios estaduais afirmam claramente que a linha foi aberta ao tráfego em 2 de julho de 1912 e não dezembro de 1913 como informam algumas fontes.

A cidade formou-se a partir do núcleo colonial e a estação tomou o nome da fazenda, pois foi o dono desta fazenda, Alfredo Eduardo de Oliveira, que fez o acordo de terras com a ferrovia. Em 1921, passou a fazer parte da malha da Sorocabana, que passou a administrar a linha, incorporando-a sob o nome de ramal de Pádua Salles. A estação foi desativada em 1960, tendo os trilhos arrancados pouco tempo depois, mas ainda existe: já foi restaurada na década de 90 e chegou a abrigar a sede da APAE, não possui mais a cobertura da plataforma. Está ali, no “fim” da cidade, no momento a espera de nova reforma, com um pátio enorme à sua volta, esquecida por todos.

Em seu auge, todas as noites, não exatamente as 20h12′ como era o seu horário (das 8h12′ em diante como dizia o último chefe da estação, Sr. Gregório Jose Bechara) algumas pessoas desciam em grupo até a estação para ver o trem chegar. A maioria das vezes era somente o Sr. Maurício Heremann, o estafeta, quem descia do trem. Era a única coisa que havia de entretenimento à noite em Conchal, à época as ruas eram fracamente iluminadas pela antiga SACERC – S/A – Centrais Elétricas de Rio Claro. O trem passava e o jeito era voltar para casa e esperar pelo dia seguinte. Hoje são bem poucos os resquícios da velha Funilense. A ferrovia deixou muitas saudades…

 

Deixe uma resposta