Região: Quatro Câmaras não elegeram mulheres; Conchal elegeu duas vereadoras

Das 20 cidades que compõem a Região Metropolitana de Campinas (RMC), quatro não elegeram nenhuma vereadora nestas eleições e em outras cinco apenas uma mulher foi eleita para o Legislativo. Em Conchal, que não faz parte da RMC, foram eleitas duas vereadoras, são elas: Geny Sampaio, que foi reeleita, e Lúcia Andréa Soares Braglin Rodrigues, a Chica.

As cidades de Santo Antônio de Posse, Cosmópolis e Vinhedo são as que terão a maior representatividade feminina a partir do ano que vem, com mais de 20% de mulheres em relação ao total de eleitos. Em Holambra, Morungaba, Paulínia e Sumaré só ganharam candidatos do sexo masculino. Vale lembrar que na eleição passada, Sumaré também não elegeu nenhuma mulher.

As cidades de Artur Nogueira, Engenheiro Coelho, Jaguariúna, Nova Odessa e Pedreira, por sua vez, elegeram apenas uma única vereadora nesta edição. Pela primeira vez desde 1797, quando foi realizada a primeira eleição de representantes no Legislativo, a Câmara de Campinas terá quatro mulheres no cargo de vereadora. Apesar disso, o número totaliza apenas 13% do total das 33 cadeiras disponíveis. Desde sua existência, há 223 anos, a Casa se notabiliza por ser um local marcadamente masculino. Durante todos esses anos, apenas 15 mulheres ocuparam o cargo de vereadora. 

Apesar do cenário nada representativo para as mulheres, em 2016, o resultado das eleições foi ainda mais desigual. Na ocasião os municípios elegeram apenas 24 candidatas do sexo feminino para o parlamento da região, composto por 295 vereadores. Para o próximo mandato serão 33 vereadoras, nove a mais do que o quantitativo atual, sendo que três delas foram as mais votadas em suas respectivas cidades: Mariana Conti (PSOL), em Campinas, com 10.886 votos; Mônica Morandi (MDB), em Valinhos, com 1.554; e Leila Bedani (PSDB), em Itatiba, com 1.505.

Ao todo, a configuração dos partidos na região ficou diluída em 18 legendas diferentes: PT, PSDB e PTD tiveram quatro candidatas eleitas, enquanto PTB e MDB somaram três cada. Na sequência, aparecem PV e PODE com duas candidatas eleitas, enquanto Avante, PSC, PSOL, PRTB, REDE, PSB, PP, PL, PTC, DEM e Republicanos terão uma parlamentar no legislativo por partido político.

Baixa representatividade

Somando todos os municípios brasileiros, pouco mais de 9 mil vereadores conseguiram se eleger no pleito municipal do último domingo (15). Trata-se de um número que representa apenas 16% do total das cadeiras disponíveis. Das 57,8 mil vagas para as câmaras municipais, mais de 47 mil (84%) foram preenchidas por homens. Os dados foram compilados pelo site Nexo e ainda não foram oficialmente divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

De acordo com o órgão, nas eleições municipais de 2016, do universo de 57,8 mil vereadores eleitos no País, apenas 7,8 mil eram mulheres, o que significa 13,5% do total. Apesar do ligeiro aumento no número de vereadoras entre 2016 e 2020, a representatividade feminina nas câmaras brasileiras segue abaixo da proporção de mulheres no eleitorado, que representam 52,5% das candidaturas, segundo o TSE. Com informações do Portal Correio Popular.

Deixe uma resposta