Acusado de assassinar obstetriz é condenado a 34 anos e 11 meses de prisão em Conchal

O homem acusado de assassinar a obstetriz Nelly Cristina Venite de Souza Maria, em Conchal, foi condenado a 34 anos e 11 meses de prisão em regime fechado. Emilson Rodrigues de Jesus foi julgado nesta sexta-feira (24), na Câmara Municipal.

Ele foi condenado pelos crimes de feminicídio, tráfico e furto e participou presencialmente da audiência, segundo o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP).

A defesa dele não foi localizada para comentar a sentença.

Feminicídio

Emilson Rodrigues de Jesus, que era namorado da vítima, está preso desde 20 de maio de 2018, quando foi encontrado pela Polícia Militar em Malacacheta (MG), um dia após o assassinato.

Nelly, de 27 anos, foi encontrada morta com 16 facadas dentro da casa em que morava pela Guarda Civil Municipal (GCM). Ela tinha ferimentos na cabeça, braços e tórax, além de sinais de estrangulamento.

Nelly Venite foi assassinada a facadas em Conchal em 2018 — Foto: Reprodução/Facebook
Nelly Venite foi assassinada a facadas em Conchal em 2018 — Foto: Reprodução/Facebook

De acordo com a GCM, o vizinho contou ter ouvido a vítima pedir socorro por volta das 3h e acionou as autoridades. Quando os gritos cessaram, ele viu o suposto namorado sair da kitnet onde a moça morava.

Os guardas municipais entraram na casa dele e encontraram 62 pinos de cocaína. Uma faca com marcas de sangue foi apreendida na casa dela.

Um dia depois do feminicídio, o acusado e vizinho, com quem a vítima mantinha um relacionamento há cerca de um mês, foi preso pela Polícia Militar em Malacacheta (MG). Com informações do G1.

Deixe um comentário