Araras confirma caso de variante brasileira do novo coronavírus e decreta toque de recolher

Araras confirmou um caso da variante brasileira do coronavírus em um morador, nesta sexta-feira (19), segundo a prefeitura. Para tentar frear uma nova onda de infecção foi publicado um decreto com medidas mais restritivas da quarentena, as principais delas, o toque de recolher das 22h às 6h e a suspensão das aulas na rede municipal de ensino (veja abaixo as principais mudanças).

É o segundo município da região a ter casos confirmados oficialmente da variante P.1, identificada primeiro em Manaus. Araraquara confirmou 12 casos há uma semana e vive uma crise hospitalar com 5 dias seguidos de UTIs lotadas, além do aumento de mortes e casos de Covid-19.

A variante é mais transmissível, mas não há confirmação de que seja mais letal.

Variante em Araras

Em uma live, o prefeito Pedrinho Eliseu (PSDB) explicou que o exame que detectou a presença da nova variante em morador de Araras foi feito no Hospital Albert Einstein.

O paciente é um profissional de saúde que não viajou, o que, segundo as autoridades de saúde, indica que a nova variante está circulante na cidade.

“Os médicos notaram uma diferença na infecção e contágio. Mais jovens viraram vítimas. E tudo levava a crer que realmente a cepa de Manaus está em solo ararense, que foi confirmada hoje após o exame”, afirmou o prefeito.

A cidade teve a 139ª morte por Covid nesta sexta-feira (19). Também foram confirmados 116 novos casos, levando a cidade a somar 8.392 infectados desde o início da pandemia. Atualmente, há 64 pessoas internadas, sendo 30 em enfermaria e 34 em UTI.

Fonte: Prefeitura Municipal

Novo decreto

Para tentar frear a disseminação da nova variante do coronavírus na cidade, a prefeitura publicou um decreto que endurece as medidas da quarentena. O documento será publicado ainda nesta sexta-feira (19) e começa a valer a partir de sábado (20).

Veja as medidas:

  • Toque de recolher de pessoas e veículos das 22h às 6h – com exceção de quem estiver voltando ou indo para o trabalho ou tiver estiver em alguma emergência;
  • Fiscalização de pessoas nas ruas durante qualquer horário do dia;
  • Estabelecimentos considerados essenciais poderão trabalhar somente nos horários previstos pelo Plano SP;
  • Interrompeçãp do fluxo de pessoas em praças a partir de determinados horários;
  • Fiscalização de pessoas em espaços comuns em espaços privados e compartilhados;
  • Pessoa física que descumprir o uso da máscara será multado;
  • Pessoa jurídica que realizar aglomerações será multado e se houver reincidência terá o alvará de funcionamento cassado;
  • Aulas da rede municipal serão suspensas.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Agnaldo Piscopo, afirmou que o município está readequando a UPA para montar leitos de enfermaria porque não há mais espaço físico na Santa Casa.

“Temos uma preocupação muito grande em colapsar o sistema de saúde. Não temos onde contratar profissionais, isso é uma realidade da região, isso não é terrorismo”, afirmou.

Fonte: Portal G1.

Deixe uma resposta