Covid-19: maioria das prefeituras da região mantém aulas presenciais suspensas; veja situação por cidade

Governo de São Paulo permitiu a retomadas das atividades escolares a partir desta quarta-feira (7) e muitas prefeituras escolheram prorrogar prazo na rede pública. Em relação às privadas, muitas cidades decidiram reabrir.

Com a autorização do governo do estado para a retomada das aulas presenciais nesta quarta-feira (7) durante a pandemia do novo coronavírus, ficou para as prefeituras a determinação sobre estudantes voltarem ou não às salas de aula. Na região de Campinas, os municípios adotaram comportamentos diferentes em relação ao retorno nas redes pública e particular. 

Em Conchal, o decreto 4.329, de 24/09/2020, mantém a suspensão das atividades escolares em todas as unidades das redes públicas municipal e estadual, bem como na rede privada durante o ano letivo de 2020, ficando mantido o sistema remoto de aulas e atividades escolares.

No levantamento feito pelo G1 nas 31 cidades da área de cobertura, 25 governos municipais responderam sobre o futuro das aulas presenciais até esta terça (6). E, dentre estes, Campinas escolheu flexibilizar permitindo a volta de estudantes nas unidades particulares e estaduais. A rede municipal da metrópole, no entanto, só terá atividades em 2021.

Conchal, Itapira, Mogi Guaçu, Mogi Mirim e Serra Negra, por exemplo, escolheram não abrir as escolas este ano, e as medidas valem para as redes pública e particular. Estiva Gerbi, Espírito Santo do Pinhal, Louveira, Pedra Bela e Pinhalzinho não responderam.

Previsão de retomada das aulas presenciais na região:

CIDADEREDE MUNICIPALREDE ESTADUALREDE PRIVADA
Águas de lindoiaAvalia em novembroAvalia em novembroAvalia em novembro
Americana2021Início de novembroInício de novembro
AmparoAvalia em novembroAvalia em novembroAvalia em novembro
Campinas2021Início de outubroInício de outubro
Conchal202120212021
Estiva Gerbi
Espírito Santo do Pinhal
HolambraEm análiseEm análiseEm análise
HortolândiaEm análiseEm análiseInício de outubro
Indaiatuba20212021Início de outubro
Itapira202120212021
LindoiaEm análiseEm análiseEm análise
Louveira
JaguariúnaAvalia em novembroAvalia em novembroAvalia em novembro
Mogi Guaçu202120212021
Mogi Mirim202120212021
Monte Alegre do Sul20212021Não há
Monte Mor20212021Início de outubro
Morungaba20212021Início de outubro
PaulíniaAvalia em novembroAvalia em novembroAvalia em novembro
Pedra Bela
PedreiraAvalia em novembroAvalia em novembroAvalia em novembro
Pinhalzinho
Santo Antonio de PosseAvalia em novembroAvalia em novembroAvalia em novembro
Santo Antonio do Jardim20212021Não há
Serra Negra202120212021
SocorroAvalia em novembroAvalia em novembroAvalia em novembro
Sumaré2021Início de outubroInício de outubro
TuiutiAvalia em novembroAvalia em novembroNão há
ValinhosAvalia em novembroInício de outubroInício de outubro
Vinhedo2021Início de outubroInício de outubro
Escolas devem seguir restrições do Plano SP para retomar as aulas presenciais. — Foto: Reprodução/EPTV

Municipais, estaduais e particulares

A maioria dos municípios da região de Campinas decidiu por postergar a reabertura na rede municipal, seja para uma análise nos próximos meses, ou somente para 2021.

Mesmo as escolas do estado que escolherem voltar a ter aulas – já que a medida é opcional e depende também da situação epidemiológica avaliada em cada cidade -, somente ensino médio e ao Ensino de Jovens e Adultos (EJA) podem a partir desta quarta. A partir de 3 de novembro, há a previsão para a retomada das aulas do ensino fundamental.

A capacidade nas unidades estaduais é de até 20% e as aulas online seguem mantidas. Campinas, por exemplo, tem 97 escolas do estado, e 22 decidiram reabrir nesta quarta. Em SP como um todo, atividades de reforço e complementares já vinham autorizadas desde setembro, mas foi uma realidade somente nos municípios que permitiram.

Retomada presencial das atividades escolares começa nesta quarta-feira em Campinas

Também não há uma opinião única em relação ao retorno nas particulares. Há cidades em que só elas reabrem em outubro, como Hortolândia, e outros municípios que só autorizaram o funcionamento no ano que vem, junto com todas as instituições de ensino. Com informações do G1.

Deixe uma resposta