Mesmo após reclassificação, Mogi Guaçu e Mogi Mirim decidem manter fase amarela do Plano SP

Duas cidades, que fazem parte do Departamento Regional de Saúde de São João da Boa Vista, retornaram à fase laranja, mas não vão seguir a determinação do governo estadual.

As prefeituras de Mogi Guaçu e Mogi Mirim decidiram, por meio de decreto, que vão manter os municípios na fase amarela do Plano São Paulo de retomada da economia, contrariando a reclassificação do governo estadual para a zona laranja, que prevê mais restrições e não permite a abertura de bares, restaurantes academias e salões de beleza. Os setores vão continuar funcionando nas duas cidades.

As duas prefeituras fazem parte do Departamento Regional de Saúde de São João da Boa Vista, que, na última sexta-feira (21), retornou à fase laranja do plano do governo estadual. O comércio de rua, shoppings e escritórios também vão manter a abertura durante 8 horas por dia, o que é proibido nesta etapa do Plano SP.

Os dois governos municipais justificaram que têm o aval da Vigilância Sanitária para manter as cidades com mais flexibilização. No entanto, o estado afirmou que todos os municípios devem respeitar as fases do Plano São Paulo.

O que pode abrir na fase amarela?

  • Comércio de rua e shoppings: funcionam com 40% da capacidade e por seis horas diárias.
  • Restaurantes e bares: reabrem para consumo no local com 40% da capacidade. Atendimento somente a clientes sentados. Funcionamento por seis horas diárias, com término às 17h.
  • Salões de beleza, cabeleireiros e barbearias: retomam com 40% da capacidade e por seis horas diárias. Não devem ter espera de clientes e precisam seguir protocolos sanitários.
  • Academias: reabrem com 30% da capacidade e funcionamento por seis horas diárias. Atividades devem ser agendadas.
  • Escritórios em geral: funcionam por seis horas e sem formação de filas.
  • Cursos livres: podem funcionar por seis horas.
  • Parques públicos e clubes: reabrem gradualmente para atividades individuais a partir de 15 de agosto.
  • Templos religiosos: voltam a receber pessoas com mais de 60 anos, mas mantêm recomendação para evitar presença de grupos de risco, e não devem ultrapassar 40% da capacidade.
  • Autoescolas: retorno das aulas práticas de direção.
  • Galerias: passam a funcionar por seis horas diárias.

O que pode abrir na fase laranja?

  • Assistência à saúde, incluindo os serviços médicos e hospitalares;
  • Segurança privada;
  • Transporte por táxi ou aplicativos;
  • Serviços de alimentação (restaurantes, padarias e etc.), priorizando os serviços de entrega;
  • Supermercados, atacadistas e comércios em geral que vendam gêneros alimentícios e produtos de limpeza;
  • Farmácias;
  • Bancos e lotéricas;
  • Indústrias e fábricas (com restrição de 30% da capacidade nos refeitórios);
  • Escritórios (Advocacia, contabilidade e imobiliárias, engenharia, arquitetura e turismo);
  • Shopping Centers (com horário reduzido/proibida a realização de atividades e eventos culturais e o funcionamento de praça de alimentação e serviços de vallet);
  • Comércios e serviços, por quatro horas;
  • Igrejas e cultos religiosos (com distanciamento mínimo de um 1,5 metro entre frequentadores)
  • Eventos na modalidade “drive-in” realizados em ambiente aberto ou fechado;

Fonte: Portal G1.

Deixe uma resposta