Coronavírus: 15 prefeituras da região não prestaram contas dos gastos com a pandemia, diz TCE

Outros 13 municípios o fizeram de modo inadequado. Todos têm prazo de 15 dias para garantir acesso público aos gastos ou prefeitos estarão sujeitos a receber multa e penalidades.

Um levantamento realizado pelo Tribunal de Contas de São Paulo (TCE-SP) mostra que 28 das 42 prefeituras da região (66,66%) de cobertura do G1 São Carlos e Araraquara não prestaram contas corretamente dos gastos contabilizados para enfrentamento ao novo coronavírus desde que foi decretado estado de calamidade pública no Estado.

Destes, 15 deixaram de prestar contas: Aguaí, Águas da Prata, Américo Brasiliense, Analândia, Caconde, Dourado, Matão, Mococa, Nova Europa, Ribeirão Bonito, Rio Claro, Santa Cruz das Palmeiras, Santa Lúcia, São João da Boa Vista e Tapiratiba.

Além disso, 13 prestaram contas de modo inadequado: Araras, Casa Branca, Conchal, Descalvado, Gavião Peixoto, Pirassununga, Porto Ferreira, Santa Cruz da Conceição, Santa Gertrudes, Santa Rita do Passa Quatro, São José do Rio Pardo, São Sebastião da Grama e Tambaú.

De acordo com o TCE, os municípios foram comunicados oficialmente na quinta-feira (14) para que, no prazo de 15 dias, adotem medidas de transparência e providências necessárias para garantir publicidade e acesso público aos recursos empregados durante o período da pandemia.

Veja municípios que deixaram de prestar contas

Confira municípios que prestaram informações de modo inadequado

Segundo orientações do TCE-SP, as administrações devem divulgar em tempo real pela internet, em portais de Transparência e canais de comunicação, todas as informações relacionadas aos atos, receitas e despesas sobre enfrentamento à Covid-19.

Caso os prefeitos descumpram as regras e orientações, estarão sujeitos ao pagamento de multas indenizatórias de até 2 mil Unidades Fiscais do Estado de São Paulo (Ufesps), o equivalente a R$ 55,2 mil, e a outras penalidades administrativas, como ter o nome incluído na lista de gestores com contas irregulares, podendo sofrer sanções previstas na Lei Eleitoral e na Lei da Inelegibilidade

Ao todo, de acordo com o TCE, 198 municípios paulistas deixaram de prestar contas, enquanto 321 fizeram “de modo inadequado”. Com informações do G1.

Deixe um comentário