Dois meses após desabar, ponte que liga Martinho Prado a Mogi Guaçu permanece intransitável

Estrutura que dá acesso a Martinho Prado cedeu no dia 27 de fevereiro, ocasionando a morte de um idoso. Moradores reclamam que rotas alternativas são longas, precárias e perigosas.

Dois meses após desabar durante uma forte chuva, a ponte que liga Mogi Guaçu ao distrito de Martinho Prado permanece intransitável. A situação gera transtornos aos moradores que dependem da passagem, já que, segundo eles, as rotas alternativas são demoradas, precárias e perigosas. Clique aqui assista à reportagem da EPTV.

Ponte que desabou em Mogi Guaçu não recebe reparos e moradores cobram por melhorias – Foto: Reprodução/EPTV

A estrutura fica localizada em um trecho da Rodovia Vicinal Almino Monteiro Álvares Afonso. Desde o desabamento, os caminhos alternativos que podem ser seguidos pelos motoristas passam por Conchal, na Rodovia SP-191 (Conchal-Mogi Mirim), ou por uma estrada rural que leva até as Chácaras Alvoradas.

A passagem cedeu no dia 27 de fevereiro. Na ocasião, a ponte, que era estruturada em duas aduelas de concreto, não suportou o volume de água do córrego do Pacu, que aumentou muito. Um caminhoneiro de 80 anos, morador de Conchal, que passava pelo local poucos minutos depois, não conseguiu frear o veículo e morreu após cair no rio.

Rotas alternativas são longas e ruins

A reportagem da EPTV – Afiliada da TV Globo percorreu ambos os caminhos que são alternativas aos motoristas. O trecho da estrada rural é o trajeto mais curto para os moradores que precisam chegar até Mogi Guaçu, mas apresenta outros problemas.

“É o caminho mais curto, porém mais perigoso. O acesso é difícil para quem tem moto, e há o risco de roubo para quem transita durante a noite”, diz Angélica Caroline Marins.

Estrada que leva até as Chácaras Alvoradas é precária e perigosa, segundo moradores — Foto: Reprodução/EPTV

Já a rodovia possui boa infraestrutura, de acordo com os moradores, mas deixa o trajeto até Mogi Guaçu mais longo. Com isso, os habitantes têm dificuldades quando precisam buscar por serviços de saúde ou se locomover até o município vizinho para trabalhar.

Pela rodovia, moradores enfrentam caminho mais longo até Mogi Guaçu — Foto: Reprodução/EPTV

O que diz a prefeitura?

Em nota, a Secretaria de Obras e Viação informou que a construção de uma nova travessia na Vicinal Almino Monteiro Alvares Afonso foi definida entre a pasta e uma empresa de Águas de Lindóia (SP) na última sexta-feira (24).

Com isso, a contratação dos serviços de reconstrução está sendo feito em caráter emergencial. O início das obras é previsto para maio, mas a administração não forneceu a data exata. Com informações do G1.

Deixe uma resposta