Justiça decreta prissão temporária da mãe de Isis Helena, criança está desaparecida há quase dois meses

Atualizada em 18/04/2020 às 19h32

A DIG de Mogi Guaçu acaba de prender Jenifer Natália Pedro, mãe da pequena Isis Helena, que está desaparecida há quase dois meses na cidade de Itapira.

De acordo com o Portal A Gazeta Itapirense, toda a operação está sendo conduzida, na manhã desta sexta-feira (17), pela Delegacia Seccional de Mogi Guaçu.

Segundo a corporação, foi pedida prisão temporária de cinco dias para dar continuidade às investigações. A menina sumiu há 47 dias e ainda não foi localizada. 

“Diligências estão em andamento para esclarecer os fatos”, informou a Secretaria de Segurança Pública (SSP), por nota. 

Ísis nasceu prematura, com microcefalia e faz uso de remédios controlados. Familiares informaram nesta sexta à reportagem da EPTV, afiliada da TV Globo, que a mulher, Jennifer Natalia Pedro, estava com o outro filho na casa da mãe dela, em Itapira, desde o início das investigações. O inquérito está sob sigilo.

O advogado de Jennifer, João Pellicer, afirma que a cliente não é suspeita, mas foi presa temporariamente para averiguações. Em novo depoimento prestado nesta sexta, ela manteve o discurso de que não participou direta ou indiretamente do desaparecimento da filha, segundo ele. 

Segundo a Polícia, ela foi conduzida por volta das 6h para a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Mogi Guaçu, onde os trabalhos da polícia sobre o caso estão concentrados. A Polícia Civil ainda não informou o que motivou a prisão temporária da mãe da bebê.

Entenda o caso

De acordo com Jennifer Natalia Pedro, mãe da menina, ela saiu de casa pela manhã na última segunda-feira, 02 de março, e deixou a filha dormindo no colchão, dentro do quarto. Na casa, em outro cômodo, estava seu avô. Ao retornar ao imóvel, viu que a porta do imóvel estava aberta e que Ísis havia sumido.

Isis Helena, de 1 ano e 10 meses, que desapareceu na manhã desta segunda-feira (2) em Itapira — Foto: Arquivo pessoal

Desde então, equipes das polícias Militar e Civil, Guarda, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil, além de voluntários e familiares, têm realizados buscas pela cidade e região.

Durante os trabalhos, cães farejadores chegaram a levar as equipes a algumas áreas de mata por Itapira, mas sem sucesso. Houve também trabalhos de mergulhadores em um lago da cidade.

Deixe uma resposta