Câmara de Conchal cassa mandato de vereador preso com carga roubada de cerveja

Cargo seria repassado para primeiro suplente, mas por questões de saúde do substituto será ocupado pela segunda suplente, Diva (PDT).

A Câmara Municipal de Conchal votou por unanimidade, na sessão de terça-feira (22), a cassação do mandato do vereador Rodinei Ferreira da Silva (PDT), preso em fevereiro no pesqueiro dele após a Polícia Civil encontrar uma carga roubada de cerveja.

De acordo com o presidente da Câmara, Roberson Claudino Pedro (PSD), o cargo passa a ser do primeiro suplente, Claudeci Delfino Martins (PDT). Entretanto, por questões de saúde do substituto, será temporariamente ocupado pela segunda suplente Valdivina Gonçalves dos Santos Shimojo, conhecida como Diva (PDT).

O G1 entrou em contato com o advogado de defesa do ex-vereador, Paulo Roberto Pereira, mas ele informou que o representa apenas criminalmente e não tem conhecimento sobre o processo na Câmara. Segundo Pereira, o processo na Justiça ainda está em andamento.

Processo de cassação

Câmara Municipal de Conchal (SP) — Foto: Conchal em Notícias

Em fevereiro, após o anúncio da prisão, a Câmara anunciou que iria suspender o pagamento dos subsídios do ex-vereador até que as investigações fossem concluídas.

Em abril, a Câmara criou uma comissão para avaliar a situação com base nos autos enviados pelo Ministério Público, desde o flagrante até o depoimento na delegacia de Mogi Guaçu.

Além disso, a comissão também abriu espaço para que o vereador pudesse fazer sua defesa, mas ele negou.

Em julho, uma nova comissão foi criada para analisar as provas e apresentar o dossiê para votação na Casa. Eram necessários 8 de 11 votos para que ele tivesse o mandato cassado.

Prisão em pesqueiro

Vereador é preso no pesqueiro dele em Conchal — Foto: Gean Mendes/F5 Conchal

O ex-vereador e um funcionário do pesqueiro foram presos após a polícia rastrear a carga com mais de mil fardos de cerveja que foi roubada na Rodovia Presidente Dutra, próximo a Jacareí, no Vale do Paraíba.

No pesqueiro, que fica próximo à Rodovia Professor Zeferino Vaz (SP-332), no distrito de Martinho Prado em Conchal, também foram apreendidas uma bomba usada para fazer a transferência de produtos líquidos, uma cartucheira calibre 28 e algumas munições.

O funcionário foi liberado, enquanto Rodinei foi preso por receptação qualificada, já que a carga seria para revender no comércio. Ele também vai responder por porte ilegal de arma. O ex-vereador passou por audiência de custódia em Mogi Mirim e a Justiça decidiu mantê-lo preso preventivamente. As informações são do G1.

Deixe um comentário