Casal tenta se aquecer usando carvão em lata e é socorrido com intoxicação em Conchal

Vizinho ouviu pedido de socorro no domingo, segundo a polícia. Homem está em estado grave.

Um casal de 63 anos foi socorrido no domingo (4), em Conchal, após inalar fumaça em um rancho na zona rural. Segundo a Polícia Civil, as vítimas colocaram carvão dentro de uma lata de tinta para aquecer o ambiente devido ao frio. Eles teriam se intoxicado depois de respirar uma grande quantidade de gás liberado pela queima.

Casal usou lata para queimar carvão em casa em Conchal — Foto: Ronaldo Oliveira/EPTV

Pedido de socorro

Um vizinho sabia que tinha pessoas na casa do rancho e teria ouvido um pedido de socorro. Ele conseguiu entrar no local e viu que o casal estava desacordado.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e socorreu as vítimas para o Hospital Madre Vannini, em Conchal.

O hospital informou nesta segunda-feira (5) que o homem está internado em estado grave, em coma induzido, e aguarda uma vaga para algum hospital da região que tenha Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e condições de realizar exames complementares. Já a mulher dele permanece internada em estado estável.

O casal mora em Sumaré (SP), mas costuma passar o fim de semana no rancho que pertence a família.

Orientações

O Corpo de Bombeiros orienta a não queimar materiais para gerar calor, pois o fogo consome o oxigênio e pode provocar asfixia.

Os resíduos da queima do material também agravam a situação, já que podem ser tóxicos.

A orientação é abrir janelas e ventilar o local, além de acionar imediatamente o Samu pelo 192 ou os bombeiros pelo 193.

Segundo os bombeiros, a pessoa que entra em um local tomado pela fumaça e encontra vítimas desmaiadas deve tomar cuidado para não se intoxicar também e perder a consciência em pouco tempo se o lugar não for ventilado.

‘Bati na janela, ele gemeu’, diz vizinho que encontrou casal intoxicado

O vizinho que encontrou o casal que sofreu intoxicação por monóxido de carbono no domingo (4) em um rancho, em Conchal, contou à EPTV, afiliada da TV Globo, como ajudou no resgate.

“Eu bati na janela, ele gemeu, e eu perguntei se tinha acontecido alguma coisa. Eu meti o pé na porta”, disse Aparecido Roque da Silva.

Aparecido Roque da Silva encontrou casal intoxicado em Conchal — Foto: Ronaldo Oliveira/EPTV

O homem está internado em estado grave e deve ser transferido para o Hospital Regional de Piracicaba nesta segunda-feira (5). A mulher ficou apenas em observação e deve receber alta ainda nesta segunda.

Resgate após intoxicação

O casal de Sumaré costumava passar os fins de semana no local. O vizinho sabia que os dois estavam na casa e achou estranho eles não terem saído de casa no domingo de manhã. “Eles acordam cedo, eu desconfiei, gritei três vezes e ninguém respondeu”, afirmou.

Ele percebeu que havia algo errado e conseguiu entrar na casa. O marido foi encontrado na cama e a mulher no chão, ambos inconscientes.

Eles passaram a noite inalando a fumaça do carvão dentro do quarto onde dormiam. O carvão estava queimando em uma lata no canto para aquecer o ambiente no frio intenso. Como não havia nenhuma entrada de ar eles foram asfixiados.

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) fez o socorro. “O acúmulo de CO faz com que o oxigênio do ambiente acaba sendo excluído e acontecem esses sintomas nas vítimas. Provocou vômito, ele estava com uma quantidade de sangramento nazal, a senhora estava com bastante quantidade de vômito”, afirmou a enfermeira do Samu Elisangela Bartarim.

Vaga em hospital com UTI

O casal foi levado para o Hospital Madre Vannini. A mulher ficou apenas em observação, mas o marido estava em caso mais grave.

Ele tinha que ser transferido para um hospital com Unidade de Terapia Intensiva e fazer exames complementares, mas o paciente foi mantido em coma induzido na sala de emergência do hospital por falta de vaga na região.

“A gente está tentando em todos os hospitais e não está tendo retorno, tentamos hospital de Sumaré, de Araras, Unicamp, tentamos tudo”, disse a nora do casal Jaqueline de Jesus Lustosa.

“Será que vão esperar eu perder meu pai na semana do Dia dos Pais. A gente só precisa de uma vaga, é a única coisa que a gente está pedindo”, disse a filha do casal Emelin Lustosa Rezende.

A confirmação da vaga ocorreu durante a tarde.

Monóxido de carbono

O monóxido de carbono (CO) é invisível e sem cheiro. De acordo com a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), as moléculas de CO se ligam à hemoglobina presente no sangue. Isso dificulta a circulação e distribuição do oxigênio – essencial para vida humana – no corpo, causando morte por asfixia.

Fonte: G1.

Deixe um comentário